quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Santa Maria Manuela


O navio Santa Maria Manuela com comprimento de 62,83 m era um lugre de 4 mastros construído nos estaleiros da Companhia União Fabril, em Lisboa no ano de 1937 com destino à pesca do bacalhau tendo feito parte da famosa “Portuguese White Fleet”. É irmão gémeo do lugre “Creoula”, hoje navio de treino de mar operado pela Marinha Portuguesa. Em 1993, apesar de todas as transformações sofridas, o navio foi considerado obsoleto sendo abatido por demolição ao registo dos navios de pesca tendo apenas sido preservado o casco. Em 1994 um conjunto de 17 instituições públicas e privadas, criaram a Fundação Santa Maria Manuela com vista a iniciar o processo de recuperação do navio para a sua traça original. Em 2007, por acordo unânime entre os membros da Fundação, a empresa Pascoal & Filhos, S.A. tornou-se gestora e proprietária do casco do navio comprometendo-se a manter o espírito e os objectivos centrais que presidiram a criação da Fundação numa base de sustentabilidade económico-financeira.
O navio já em fase final de recuperação foi rebocado para a Galiza este mês de Dezembro para as obras finais. Acompanhem o blog!

domingo, 28 de dezembro de 2008

"Salpico II"



É um Aloa 27, veleiro de 7,97 m de comprimento (7 metros de linha de água), 2,8 m de boca e 1,5 m de calado. Foi fabricado pelo estaleiro Aloa Marine entre 1975 e 1979 e foi uma inovação na época pela largura da sua popa, ao contrário dos restantes veleiros. Rapidez em ventos fracos graças à sua enorme genoa, estabilidade em ventos médios, acelerações à popa são as principais características (fonte: Guides des Voiliers d'ocassion - Editions Loisirs Nautiques)

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Os Pescadores

Quando regresso do mar venho sempre estonteado e cheio de luz que me trespassa. Tomo então apontamentos rápidos - seis linhas - um tipo - uma paisagem. Foi assim que coligi este livro, juntando-lhe algumas páginas de memórias. Meia dúzia de esboços afinal que, como certos quadradinhos do ar livre, são melhores quando ficam por acabar.

Estas linhas de saudade aquecem-me e reanimam-me nos dias de Inverno friorento. Torno a ver o azul, e chega mais alto até mim o imenso eco prolongado... Basta pegar num velho búzio para se perceber distintamente a grande voz do mar. Criou-se com ele e guardou-a para sempre- - Eu também nunca mais a esqueci...

Os Pescadores, Raul Brandão

"Moby Dick"



É um First 210, modelo construído desde 1992 pelo estaleiro francês Beneteau, tendo evoluído para o actual First 21,7 (CE - Classe B).
Tem 6,20 metros de comprimento, boca 2,48, calado 1,80/ 0,70, sendo ainda hoje reconhecido como a referência na classe. Mais "day-boat" que cruzeiro, interior sumário, poço razoável, insubmersível, área vélica generosa, seguro, um prazer a velejar. E este é azul e branco...

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Jantar 10 de Dezembro

15 amigos de 13 veleiros (Pajim, Thalassa, Casik, Moby Dick, Nuberu, Missó, Ana Margarida, Pnine, Swallow, Nhocos, Salpico II, Deepo e Ninas) a quase totalidade sediados na Marina de Leixões, realizaram um jantar de confraternização no passado dia 10 de Dezembro no nestaurante Nova Tendinha em Leça da Palmeira.

Em noite fria de Inverno, "navegou-se" à vista da lareira por entre um agradável repasto e mais que recomendável bebida dos deuses. No meio contaram-se histórias e novidades.

Do alegre convívio ficou a promessa de fazer crescer este grupo de amigos e de se organizar algumas iniciativas para 2009 que possibilitem o convívio entre todos e a partilha do imenso gosto pelo mar e prazer de velejar.

Francisco Alba - Moby Dick